AZZ
  
Palácio
   Sala de caça
   Arquivo Musical
   Galeria
   Sala Terrena
   Biblioteca
   Sala de Vassalagem
   Sala da Assembleia
   Sala do Trono
   Cuarto do Czar
   Salâo cor-de-rosa
   Colecção de Moedas

  Jardim Podzámecká
  Jardim Kvetná
  Kromeriz



Kromeriz é um nome que provávelmente provem de uma língua eslava e é o nome de alguém famoso fora da sua terra ou da sua tribo. Durante o reino da Grande Morávia no século IX d.C, existía aqui uma muralha eslava que vigilava a encruzilhada de caminhos numa margem do rio Morava.Aqui cruzavam se os caminhos de sal para a Morávia de Norte com o caminho do âmbar das provínçias Bálticas para o mar Adriático. Esta cruz de comunicações era importante também na época romana devido ao papel do mercado eslavo na zona. Mais tarde o bispo Bruno de Schaumburk (1245-81) fundou uma povoação com mercado e depois a cidade cresceu rodeada de muralhas. De povoação romana desemvolveu-se um castelo com o centro da organização de um feudo com um Tribunal de vassalagem. O bispo Stanisalv Thurzo (1497-1560) reformou pouco a pouco o castelo renascentista. No convite para o rei Vladislav II escreveu que na cidade havia um jardim muito belo adequado para o príncipe Ludovico. Na galeria de arte do palácio existem quatro quadros de L.Cranach St. , dois dos quais têm a assinatura do bispo, isto significa que se tratava de uma encomenda do bispo. No ano 1588 o imperador Rudolfo II deu aos bispos o título de condes. E no ano 1608 os bispos puderam usar de novo o direito de cunhar a moeda do bispado da Morávia. Quase no final da Guerra dos Trinta Anos, no ano 1643 o general suéco Tortenson, conquistou Kromeriz, queimou toda a cidade e o castelo. Mais tarde a cidade foi derrotada duas vezes e em 1645 morreu quase toda a população devido á peste. De 244 edifícios restaram 69 casas habitadas. Lógicamente a recuperação da cidade demorou muito tempo. O bispo renovador Carlos de Liechtenstein –Castelcorn foi importante para a mudança da cidade. Segundo a tradição chorou quando depois de subir ao trono observou desde palácio a cidade totalmente destruída. E decidiu que a sua cidade tinha que ter o aspecto de uma cidade de condes. Fundou a Oficina de Construcção e assim obrigou a burguesia a pagar a renovação dos edificios e casas. A mesmo tempo o bispo dirigía as empresas de construcção episcopais. O bispo não podía viver num palácio totalmente destruído pelo que se mudou para uma das casas capitulares. No ano seguinte á sua subida ao trono começou a trabalhar na construcção de um jardim de tipo italiano num lugar fora das muralhas. O jardim chamava-se Libosad e hoje os cidadãos chamam-lhe Kvetna zahrada« Jardim das flores». Este projecto teve um custo elevado para o seu tempo: 75 mil moedas de ouro. Os artifices de este projecto foram um arquitecto imperial, o engenheiro Filiberto Lucchese, e depois da morte de este em 1666, o seu coléga o engenheiro Giovanni Pietro Tencalla. Estes dirigiram também a nova restauração do palácio que terminou em 1688.Para a restaração obrigaram os camponeses a trabalhar e emprestar as suas carroças, também usaram o trabalho dos prisioneiros. Estes prisioneiros trabalhavam numa povoação em Hukvaldy mas tiveram que ir trabalhar para a residência de K. O bispo Liechtenstein restaurou o jardim Podzámecká, as muralhas, os aquedutos, as fontes, a Casa da moeda, instituiu um médico estável, convidou a Ordem de Cister y para ela construiu o colégio, construiu instituto e a escola para cantores. Em 1689 construiu a muralha da paz entre a povoação e o bairro judeu e aí fundou a Câmara Municipal judía. A biblioteca do palácio recebeu de bispo uma bolsa para compra de livros novos e também para establecer um cargo de bibliotecário. Durante esta época também foi formada orquestra de palácio composta por 36 membros, estava entre as maiores da Europa. A guarda episcopal tinha 24 mosqueteiros que se vestíam de vermelho, 4 trompetistas de cavalaría e 6 cornetas.Em 1673 o bispo comprou a colecção de quadros dos irmãos František e Bernard Imstenreadori, filhos do colecçionista Ewerhard Jabach. Esta colecção é fundamental por exemplo para o museu de Louvre em Paris.Esta compra enriqueceu a galeria de arte de palácio com obras de mestres de fama mundial. O castelo construído e mobilado por o bispo de Liechtenstein transformou a imagem da cidade e fez dela uma verdadeira cidade de condes. Em 1752 um grande incêndio destruiu a cidade e o castelo. A nova reconstrução deixou marcas sobretudo no segundo piso –o mais destruído- onde as paredes foram pintadas artisticamente. O tecto da sala dos vassalos foi pintado por um pintor de Viena, F. A. Maulbertch. Aqui pintou uma das suas melhores obras e os seus frescos podem ser comparados aos do veneziano G.B.Tiepolo. Nessa mesma época o pintor moravo J. Stern pintava o tecto da grande sala da biblioteca (1759), o tecto da biblioteca menor 1760 e a sala de São Sebastião com o seu colega escultor F. Hiernle (1761-1766) Em 1772 terminou a reconstrução da sala de jantar –mais tarde a Sala da Assembleia- o tecto foi pintado por F.Adolph de Freenthal e os estuques por M.K.Keller. Em 1795 perto do palácio construiram uma Columnata de Colloredo com grande giardietto de terraços. Até ao século XIX ampliaram e decoraram outras partes do Jardim Podzámecká e agora este é considerado o jardim de paisagem mais valioso e bonito da toda Europa. No ano revolucionario de 1848 na Sala de jantar do palácio efectuou-se a Assembleia das nações austríacas. Infelizmente foi desfaita em Março de 1849. Desde então ficou como Sala da Assembleia e é considerada monumento histórico nacional. A história e importância do palácio de Kromeriz e dos seus jardins é muito interesante sobretudo no que diz respeito ás relações europeias e a história nacional. Se observarmos o palácio e toda a cidade de um ponto de vista internacional podemos ver que pertencem ao tesouro mundial dos monumentos históricos.